quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Saúde da Gente - Cirurgia Bariátrica 1ºPasso

Olá, Gente linda.... Como vão?
Conforme havia planejado e, inclusive, postei sobre isso em nossa página, quero escrever para vocês sobre coisas diferentes, além das postagens que já estão acostumadas. Quero fazer, ao menos uma vez ao mês, postagens sobre assuntos mais complexos como distúrbios alimentares, gravidez, morar sozinho, fobias ... ah, são tantos assuntos interessantes... E para isso conto com vocês.
Tenho ideias de colher depoimentos, fazer entrevistas e trazer pesquisas. Acho que será bacana e espero que vocês também gostem e participem.
Ah, mas fiquem tranquilas que continuaremos com nosso foco de tratar sobre todo universo feminino.

Bem, para começar, resolvi tratar de um assunto bem legal e, de certa forma, polêmico. Como vivi a experiência dentro da minha casa, achei bacana trazer para o blog: A Cirurgia Bariátrica!
Meu esposo, Ricardo,  estava há um bom tempo lutando contra balança e cismou que queria fazer a este procedimento. No começo fui contra, pois conhecia o assunto superficialmente e o medo era enorme.
Como seria? Como ele ficaria? Quais os riscos? Pararia de comer? Ai meu Deus, Quantas perguntas. Mas, somos muitos parceiros, cúmplices e não o abandonaria nesse momento (e em nenhum outro!), mesmo que meu medo fosse grande. E lá fui eu, iniciar uma verdadeira jornada em busca de informações, conhecimento, profissionais de confiança e, acima de tudo, segurança para realizar tudinho com sucesso e saúde!

Meu marido sempre foi bom de garfo, mas não é do tipo compulsivo. Ele não é do tipo "caçador" que fica abrindo armários e geladeira durante o dia, mas na hora da refeição, ele comia muito, muito bem. Foi ganhando peso e isso trouxe consequências à saúde. O problema dele nada tinha a ver com fatores estéticos, até porque ele é um homem grande, alto e não representava essa tal obesidade mórbida aos olhos... mas, seu índice de massa corpórea - IMC já mostrava o perigo: estava quase no 41!!!



Ele tinha dores fortes no joelho esquerdo, mesmo após cirurgia, e isso impedia de realizar atividades aeróbicas e ate mesmo passeios simples, como uma volta no shopping. Fora isso ele tinha entrado numa faixa de pré-diabetes e se não tomasse alguma providência, esse problema seria preocupante com o passar dos anos. Outro problema que começou a enfrentar foi o aumento da pressão arterial.
Somado todos esses fatores, ele se tornava uma candidato em potencial para a gastroplastia (outro nome da cirurgia bariátrica). 
Nosso primeiro passo foi escolher em que clinica e com que médico ele faria o procedimento e, começamos a pesquisar no convênio locais que tinham cobertura. Logo encontramos o Instituto Garrido, um dos mais conceituados na área, chefiado pelo dr.Arthur Garrido, um dos precursores dessa cirurgia no Brasil. Uma equipe de médicos e outros profissionais fazem parte da equipe, todos membros da SBCD (sociedade brasileira de cirurgia bariátrica e metabólica). Li muitas coisas boas e recebi indicações que me animaram. Marcamos consulta com Dr. Alexandre Elias.
Nos recebeu muito bem e explicou tudo sobre como funcionava e quais requisitos teríamos que cumprir antes da operação. Indicou para ele o método baypass.


Bypass gástrico (gastroplastia com desvio intestinal em “Y de Roux”)
Estudado desde a década de 60, o bypass gástrico é a técnica bariátrica mais praticada no Brasil, correspondendo a 75% das cirurgias realizadas, devido a sua segurança e, principalmente, sua eficácia. O paciente submetido à cirurgia perde de 40% a 45% do peso inicial.

Nesse procedimento misto, é feito o grampeamento de parte do estômago, que reduz o espaço para o alimento, e um desvio do intestino inicial, que promove o aumento de hormônios que dão saciedade e diminuem a fome. Essa somatória entre menor ingestão de alimentos e aumento da saciedade é o que leva ao emagrecimento, além de controlar o diabetes e outras doenças, como a hipertensão arterial.

Uma curiosidade: a costura do intestino que foi desviado fica com formato parecido com a letra Y, daí a origem do nome. Roux é o sobrenome do cirurgião que criou a técnica.

Existem outros métodos de realização e o paciente, junto com o cirurgião, escolhe o melhor dentro de seu caso.

Saímos de lá com a missão de realizar diversos exames e também de juntar 5 laudos de diferentes especialidades médicas, indicando a cirurgia para o caso dele. Essas especialidades são: o próprio cirurgião, um endocrino, um cardiologista, uma nutricionista e um psicólogo.
Algumas clinicas, como o Instituto Garrido, já têm todos esses especialistas lá mesmo e você pode fazer por eles, mas alguns não aceitam o convênio e daí é preciso desembolsar o pagamento. Mas, lá eles nos deixam a vontade para procurar os médicos que quiséssemos. Fomos nos do convênio, exceto psicólogo e nutricionista que não tínhamos cobertura.
Foi uma correria...todo dias tínhamos visitas a consultórios ou laboratórios e os preparos era desgastantes. Eu acelerava o máximo que podia, marquei em diversos laboratórios diferentes para adiantar o processo. Meu marido iria sair de ferias em um mês e ele queria aproveitar o período para operar e não precisar entrar de licença. Mas, não é simples assim...tudo leva tempo e depende de resultados, então acabou que só conseguimos agendar a data para dois dias antes dele retornar ao trabalho.
O Dr.Elias indicou para que ele perdesse em 3 e 5% do seu peso antes da cirurgia, pois estando com menos peso, os riscos de problemas e complicações seriam reduzidos. Saindo daquela primeira consulta ele fechou a boca, começando o processo de mudança e...conseguiu!!!
Todos os médicos deram o laudo para ele e, ainda tivemos que providenciar um laudo a mais: do vascular. Como meu marido já havia tido um caso de trombose há anos atrás, o cirurgião optou por agregar mais uma margem de segurança. Foi dureza, mas deu tudo certo.

Gente... o objetivo deste post é contar os passos e a experiência que tivemos, mas de forma alguma isso é uma apologia à cirurgia. Até porque é um método radical, com riscos e que trará uma enorme mudança de vida e uma readaptação a si mesmo.
A principal visão que a pessoa deve ter é ser e estar saudável, pensar no futuro e analisar como estará daqui a 10, 20 anos. Meu marido estava ficando com problemas e isso poderia agravar cada vez mais com a idade ... quanto mais nos cuidarmos e priorizarmos uma boa qualidade de vida, melhor, não é mesmo?! Com tudo isso foi a melhor opção para ele...para nós!
Esqueci de mencionar que uma outra exigência da clinica é assistir a palestra com o próprio Dr.Garrido... nesta palestra ele explica TUDOOOO... é excelente e ele tira todas as dúvidas, mata todas as curiosidades sobre o tema. No final da palestra alguns pacientes operados dão depoimentos e isso estimula bastante. Saí da palestra mais leve e com vontade de ver meu amor cheio de saúde e com vida nova!
Vale ressaltar que emagrecer, seja de que jeito for, não é garantia de uma vida de sucesso. Estar magro não trará felicidade, nem casamento, nem emprego e nem alegria de viver....isso é outra coisa e não confundam. Busque na cirurgia ou no emagrecimento natural qualidade de vida, SAÚDE, bem estar...que seja uma conquista sua, uma vitória que te complete, mas sem achar coisas que não dependem em nada dos números da balança! #ficadica::

No próximo post e vídeo falarei sobre o 2ºpasso do que vivemos. Abaixo segue o link do vídeo onde conto essa primeira parte pra vocês! 

https://youtu.be/P8DPIxjA4QU

Não esquecam de se inscrever no meu canal do youtube e ficar atualizados com os futuros vídeos. Aproveitem e sigam os demais da canais da Gente:

No Instagram:  @gentequefez  

No facebook:
https://www.facebook.com/A-Gente-que-Fez-231894396906928/timeline/      

Se tiverem dúvidas, perguntas e sugestões, escreva pra Gente:
gentequefez@hotmail.com


Para finalizar, uma foto do meu maridão antes da cirurgia, com seus 130kg: